terça-feira, 3 de agosto de 2010

Apenas mais um desabafo de uma noite qualquer .

Hoje, o dia amanheceu sem sol, sem calor . Só o frio e o cinza de sempre, tempo que costumava me agradar, em tempos felizes . Não quero dizer que não sou feliz, longe disso . Mas a dor que habita meu peito, por mais que eu a ignore e tente torná-la insignificante, ainda faz-me mal . Ela ainda tenta sugar a vontade que tenho de sorrir para as pessoas, tenta me fechar em um mundo em que não existe beleza, tenta me matar por dentro . E certas vezes, até consegue .
Não queria ter que explicar de onde vem essa dor, e não acredito que tenha . Mas compartilhá-la com alguém, mesmo que apenas para o vazio, parece-me reconfortante . Essa dor me faz sentir vontade de voltar em minhas promessas, especialmente na última que fiz comigo mesma . E ela é tão, tão mais forte que eu, que me faz parecer patética lutando contra ela . Eu tento, claro que tento, mas só eu sei o quanto isso me custa . Me custa muito não olhar no fundo de seus olhos, me custa muito caminhar na direção oposta a sua, me custa muito sair de seu mundo, me custa muito fingir não ouvir suas palavras, me custa muito dominar a vontade de te abraçar, me custa muito te esquecer . E mesmo depois de todos esses dias nublados, ainda continuo acreditando em um final, se não feliz, talvez bom . Bom para mim e para você, um final em que eu possa te abraçar sem ser contaminada pela sensação boa que o teu cheiro causa em mim, um final melhor que esse meio . Um final em que eu consiga te perdoar por ter mentido, e me deixado na escuridão enquanto eu chamava por ti .

Nenhum comentário:

Postar um comentário